quinta-feira, julho 09, 2009

Papa propõe que a ONU comande a Nova Ordem Mundial

O papa Bento XVI apresentou, nesta terça-feira (7), a terceira encíclica de seu pontificado, “Caritas in veritate” (Caridade na verdade), a primeira a tratar de temas sociais, ditando “a reforma da arquitetura econômica e financeira internacional” depois da crise americana que atingiu os cinco continentes. Apesar do cunho político, o pontífice se recusou a classificar o documento como um texto “feito especificamente para a crise”.

Trata-se, segundo ele, de uma encíclica destinada a promover “o desenvolvimento humano integral”. Na opinião do papa, a resposta da comunidade internacional à crise passa pela criação de uma “verdadeira autoridade política mundial”, que poderia ser as Nações Unidas (ONU). A proposta de Bento XVI propõe a globalização em novos termos, tendo a ONU com uma “autoridade mundial”, um “degrau superior de organização em escala internacional” [grifo nosso].

Para, além de “governar a economia mundial, sanear as economias atingidas pela crise” e “prevenir o seu agravamento e maiores desequilíbrios”. O novo mecanismo proposto pelo Vaticano trataria também de “proceder a um desejável desarmamento integral, alcançar a segurança alimentar, assegurar a proteção do ambiente e regular os fluxos migratórios”, tendo como “princípio a solidariedade”.

O papa entende que a globalização em si “não é boa nem má” e defende que os indivíduos passem da condição de “vítimas” ao papel de “protagonistas” na correção de disfunções graves, que provocam “divisões entre os povos e no interior dos mesmos”.

Aos Estados o papa pede “uma ética que promova a “dignidade inviolável da pessoa humana e também o valor transcendente das normas morais naturais” [grifo nosso].

Uma ética econômica sem estes dois pilares, segundo Bento XVI, “arrisca-se inevitavelmente a perder o seu cunho específico e aparecer em função dos sistemas econômico-financeiros existentes, em vez de servir de correção às disfunções dos mesmos”.

Partindo do diagnóstico de uma “ligação estreita entre a pobreza e o desemprego”, Bento XVI pronuncia-se contra a degradação do “nível de proteção dos direitos dos trabalhadores”, a começar pelo “direito a um salário justo”.

As estruturas sindicais, argumenta o papa, “foram sempre encorajadas pela Igreja”. A encíclica “Caritas in veritate” retoma também a condenação do aborto e da eutanásia, a par da defesa do “casamento entre um homem e uma mulher” enquanto “célula primeira e vital da sociedade”.

E conclui: “Considerar o aumento da população como a causa primeira do subdesenvolvimento é incorreto, mesmo do ponto de vista econômico”.

O documento foi divulgado um dia antes de os líderes do Grupo dos Oito (G-8, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, Japão e Rússia) se reunirem em L’Aquila, Itália, para coordenar os esforços para lidar com a crise global.

Fonte: O Diário do Norte do Paraná.

NOTA: O documento publicado pelo Vaticano tem por objetivo último estabelecer uma autoridade mundial única, tendo a ONU como fachada e o Vaticano e outros grupos de interesse político mundiais por trás dos bastidores. Outra sugestão profética no texto é a referência às "normas morais naturais", em outras palavras, os Dez Mandamentos conforme entendidos pela Igreja Católica (aí incluída a guarda do domingo em lugar do sábado bíblico). Logo, a solução para os problemas do mundo, segundo o bispo de Roma, é uma autoridade mundial promover a guarda do domingo ao redor do mundo. Nada mais profético, portanto (Veja Ap 13:15-17).

12 comentários:

AFONSO GOMES disse...

AGORA OS ULTIMOS ACONTECIMENTOS SERÃO RAPIDOS

Amynon disse...

realmente tudo esta se cumprindo !

Sérgio Santeli disse...

"É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato". Art. 5o - Constituição Brasil

Zé Pioneiro disse...

Perdão pelo meu primeiro comentário ter sido anônimo. Segue o comentário, dessa vez com um pseudônimo (o que é permitido pela legislação brasileira). Fico impressionado com algumas coisas serem colocadas com algum exagero. Se estimula algumas atitudes impressionantes. Não acho que algum cristão discordaria do papa a tal ponto de afirmar que o mundo não precisa de "normas morais naturais" mais elevadas. Agora já dizer que isso é a mesma coisa que "os Dez Mandamentos conforme entendidos pela Igreja Católica (aí incluída a guarda do domingo em lugar do sábado bíblico)" é dizer algo que não está no texto!!! Os católicos guardam o domingo e é normal e natural é que falem e preguem dele. Toda a vez que um católco (especialmente o papa) faz alguma declaração defendendo o domingo (o que não é o caso, mas se faz questão de se torcer as palavras como se fosse), isso é entendido como uma indicação de que haverá uma perseguição contra os guardadores do sábado. E se fosse o inverso? E se os católicos tivessem uma doutrina que pregasse que os guardadores do sábado perseguiriam os guardadores do domingo? Toda vez que os ASD fizessem uma declaração a favor do sábado (o que ocorre quase o tempo todo, todo dia) os católicos publicariam textos, pregariam sermões, anunciariam nas rádios. Mas, ao contrário do que prega a IASD, a igreja católica não está preocupadíssima com os guardadores do sábado. Se ela tem pregado mais acerca do domingo é porque mais cristãos estão sendo perseguidos em países mulçumanos (onde a sexta, e não o sábado, é sagrada). Não estou dizendo com isso que a ICAR é santa. Longe disso. Estou dizendo que a pregação é exagerada e que há um estímulo a uma crença (leia-se "perseguição em massa" e "decreto dominical") que serve apenas para manter as pessoas presas a uma igreja por medo, e para manter a estrutura de poder de um grupo eclesiástico que se sustenta a partir do dogmatismo exacerbado e da ignorância de um povo que é desestimulado de ler literaturas cristãs contrárias às crenças ASD. Acrescento que, por mais que soe estranho a ouvidos adventistas, alguns cristãos que guardam o domingo, que são a maioria (cerca de 99%) estão sendo identificados a partir de seu hábito de adorar a Deus no dia da ressurreição do Senhor. Outro detalhe, em um livro escrito por um padre católico chamado Antonio Gruyters e publicado pela Paulinas (editora católica) chamado "Santificar Sábado ou Domingo" ele escreve sobre o sábado defendendo sua guarda. Por incrível que pareça aos ouvidos adventistas sua conclusão ao fim do livro é, em suma: quem santifica o sábado está certo e quem santifica o domingo também, o que os católicos podem aprender com os que guardam o sábado? Ou seja, na Igreja Católica não existe essa animosidade com os guardadores do sábado que os ASD mais beligerantes insistem em estimular. A Igreja Católica quer mais poder? Claro que quer. O desejo por poder em uma organização é algo entranhado. Existe na ICAR, e também na IASD. Se a IASD pudesse ter mais relevância política mundial, certamente ela teria. E de certa forma a tem buscado. É claro que alguns pastores que lerem esse comentário vão negar o que eu estou falando. Assim como o Bento XVI negaria que o desejo por mais poder e relevância secular existe na ICAR. Outro detalhe ainda. Alguns adventistas se queixam de leis que protegem o descanso dos trabalhadores aos domingos. Porém, apenas cerca de 1,3% da população brasileira guarda o sábado (aqui os ASD, batistas do sétimo dia e judeus). 98,7% dela, não guarda o sábado! Portanto, os adventistas são a exceção e como exceção devem ser tratados. Seu direito de adorar a Deus no sábado deve ser respeitado e qualquer forma de violência e desrespeito para com sua fé punida com a devida justiça. Mas submeter 98,7% da população a crença de apenas 1,3% dela significa, para dizer o mínimo, parcialidade. Os adventistas deveriam estar preocupados com coisas mais importantes em vez de "lutar contra" seus outros irmãos na fé cristã. "Quem tem ouvidos, que ouça"

Danivaldo Ribeiro disse...

Estavo esperando essa noticia em seu blog (demorou mais chegou). Realmente os chamados acontecimentos espontaneos para os cumprimentos das palavras da Profecia (Bíblia Sagrad) estão se alinhando e sendo cumpridos arrisca em nossos tempos. Esperamos por parte do povo de Deus somente a preparação de seu corpo e mente do alimento celestial para a Crise Final. Logo, logo o mundo irá se render ao modismo da guarda domingo de forma universal. Ora vem Senhor Jesus..

Sérgio Santeli disse...

Prezado Zé Pioneiro:

Compreendo sua preocupação por achar que houve "exageros" neste blog. Alguns destes por você entendidos dessa forma por causa da natureza deste tipo de comunicação: blogs são para pequenos textos, que devido o curto espaço não podem ser repetidos à exaustão. Por isso, a melhor maneira de interagir com um blog é primeiro se inteirar de tudo o que já foi dito sobre o assunto. Se você já fez isso, deve ter chegado a algumas conclusões:

1) Este blog é pessoal e expõe opiniões pessoais, não representando, portanto, a voz oficial da Igreja Adventista do Sëtimo Dia.

2) Como Adventista creio na doutrina desta Igreja, porém, isso não quer dizer que só os adventistas é que são o povo de Deus. Há pessoas sinceras e tementes a Deus em várias outras denominações cristãs. Inclusive na ICAR.

3) Estamos envolvidos num conflito entre o bem e o mal e todos precisamos desenvolver convicções sobre a verdade que nos ajudem a compreender a realidade e a interagir com ela.

4) Creio que Jesus "subiu aos céus, está sentado à destra de Deus, o Pai onipotente, donde há de vir para julgar os vivos e os mortos".

5) Deixou os sinais da Sua volta registrados nas Escrituras, que nos possibilitam saber que Ele está às portas.

Quanto à ICAR existe sim, uma diferença grande entre o nosso pensamento.

A ICAR defende que:

Foi a Igreja que formou (criou) a Palavra (Cânon Bíblico), e por isso, a Tradição tem primazia sobre a Palavra.

Minha posição é a da Reforma:

Foi a Palavra que formou (fez surgir) a Igreja, e portanto, a Palavra tem primazia sobre a Tradição.

Por isso, devo dizer que não sou contra "normas morais naturais". Esse blog existe para defender os DEZ MANDAMENTOS. A grande diferença, é o método como isso deve ser feito. Defendo apenas a conscientização 'mediante o ensino e a pregação, enquanto a ICAR vai além desejando, se possível, uma lei civil obrigando todos a seguirem os mandamentos. De acordo com a DOUTRINA SOCIAL CATÓLICA, a política e a religião podem andar juntas se for para garantir os preceitos da Igreja (é só observar os países onde o catolicismo é ampla maioria e você percebe isso acontecendo na prática: exemplo - Croácia).

Bem, você perguntou e se fosse o inverso? Ora se fosse o inverso também estaria errado, digo, impor a guarda do sábado mediante lei civil seria tão errado quanto impor qualquer outro dia.

Por isso, a grande preocupação deste blog é alertar para o fato de que a história vai se repetir: e o pior, com a ajuda dos protestantes americanos, que vão imitar o modelo católico de Igreja-Estado e vão influenciar o Congresso americano a impor uma Lei civil de descanso obrigatório do domingo como forma de "salvar o mundo". Isso é o que diz a profecia do apocalipse.

Não é questão de atacar ninguém, tão somente de confrontar as profecias com a realidade do mundo atual.

"Quem tem ouvidos, ouça"

Jesus está voltando!!

E Ele quer salvar a todos nós.

Depende de cada um...

Jackson disse...

o presidente dos Estados Unidos, vamos falar sobre o papel de Obama na profecia bíblica. Apocalipse (Revelação de Jesus Cristo) 13 fala de duas bestas que, em profecia, significam poderes. Nos primeiros 10 versículos, a Bíblia faz menção à Igreja Católica. O texto: "e deu-se-lhe poder para continuar por quarenta e dois meses" (Apocalipse 13: 5) significa o domínio da Igreja Romana por 1260 dias (42 meses X 30 dias) proféticos ou 1260 anos. Em profecia, um dia equivale a um ano (ver Números 14:34 e Ezequiel 4:6). Os 1260 anos se referem ao período de 538 a 1798 de nossa era, quando o papado "dominou" o mundo. No livro O Grande Conflito, Ellen White relata que em 1798 "um exército francês entrou em Roma e tomou prisioneiro o papa, que morreu no exílio. Posto que logo depois fosse eleito novo papa, a hierarquia papal nunca pôde, desde então, exercer o poder que antes possuíra".SAIBA MAIS EM
WWW.SERFELIZ.RG3.NET

Jackson disse...

VEJA ESSAS FOTOS
E ENTENDA.
http://www.orkut.com.br/Main#AlbumZoom.aspx?uid=12588781572671401665&pid=1246824761845&aid=1244148882$pid=1246824761845

Oráculo disse...

Eu acho preocupante a questão do governo mundial controlando a tudo e a todos, mas guardar o domingo ou o sábado eh algo puramente religioso. aliás, religião eh uma fachada tb, para que aqueles que realmente governam o mundo dividam as pessoas q façam pessoas discutirem e brigarem.

O Deus verdadeiro está fora das religiões, teologias e doutrinas, e só será enocntrado em corações que tem dentro de si o amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

Aquele que tem isso em si sabe que religião é mentira e que não existem dias sagrados + importantes. Todos os dias são imporantes e sagrados para cumprir esse amor, e igualmente importantes para Deus. O que ele deseja é as vidas das pessoas mudadas e tornadas como a de seu Filho (Jesus), e não discusões teológicas ou opiniões.

Amor trás atitudes. Quem segue uma religião nega que Jesus é o Caminho a Verdade e a Vida, pois se vale de algo que ele jamais seguiria.

Quem fundou o cristianismo foi Constantino, antigo imperador romano, e não Jesus.

Jesus fundou uma igreja (que significa "chamados para fora"), pois as pessoas precisam ser chamadas para fora desse sistema opressor controlado por uma elite que tem como frentes a economia, a politica, a religião, a sociedade e a cultura.

A reforma protetante mudou algumas coisas em relação ao cristianismo católico, mas manteve muitas outras. Como o próprio nome diz eh foi apenas uma reforma, e pouca coisa mudou em relação a instituição da qual a msm se separou.

Pode parecer muito agressivo, mas o cristianismo não segue a cristo.

Apenas pessoas podem seguí-lo, e não uma orientação religiosa.

Muitas pessoas de várias religiões (cristãs ou não) tem despertado para essas verdades.

Que para viver a Verdade que liberta ninguém fará isso dentro de uma religião que guia seu pensamento e tira sua liberdade e sua fé.

Que todos busquem a verdade.

Antes que tudo passe...

Anônimo disse...

Seria o papa a besta?!


Ass. Konstantine

Brasil, Lana disse...

O mundo está afundando e ninguém vai fazer nada.

PRISMA disse...

Como resposta ao comentário do Senhor Zé Pioneiro, quero afirmar sim que o papado juntamente com os EUA, obrigará sobre a forma da lei todos os moradores da terra a se curvar diante de sua supremacia guardando o domingo.
Vale saber que o domingo é o sinal de autoridade da ICAR. se ela não está preocupada com a minoria que guarda o sábado, porque João Paulo II, em sua carta as igrejas ele pede aos católicos que rezem para que os Adventistas aceitem o domingo como dia de descanso? sem mais nada a acrescentar, aguardem o comprimento da profecia, e você verá...
Devemos guardar o sábado, porque reconhecemos a autoridade de Deus como criador, e neste dia lhe prestamos nossa homenagem, adorando-o em espírito e em verdade. o Deus eterno fala Sábado, e não domingo.
independente de ser adventista ou não, devemos santificar o sábado, porque todos nós somos criaturas de Deus, e guardando o sábado estamos reconhecendo Ele como criador. santificar o sábado é uma homenagem a Deus, e não a igreja adventista, agora sim, quando se guarda o domingo, vc está homenageando o papado.